Conheça um dos tipos de testagem para o novo coronavírus: RT-PCR

Transcrição reversa seguida de reação em cadeia da polimerase é um dos métodos seguros para detectar o Sars-CoV-2.

A testagem é uma medida obrigatória para todos os governos que planejam sair do isolamento. Uma comparação que exemplifica esta importância se ilustra na Coreia do Sul, que com 10.874 casos confirmados tem 256 mortes, enquanto a Dinamarca, com um registro similar de 10.627 casos, soma 529 mortos. Diferente do segundo, o primeiro país seguiu uma estratégia de ampla testagem com PCR, um método popular entre os microbiologistas, mas que pode gerar confusão na hora de entender como é executado para a detecção dos coronavírus como Sars-CoV e Sars-CoV-2, o causador da Covid-19.

A Transcrição reversa seguida de reação em cadeia da polimerase, do inglês Reverse Transcription–Polymerase Chain Reaction (RT-PCR), é um método de análise clínica utilizado em laboratórios e pesquisas para detecção de vírus diversos e também para a avaliação de perfis genéticos de tumores. Atualmente, as nações e seus sistemas de saúde baseiam-se nos resultados dessa análise para o planejamento de restrições ou relaxamento do lockdown.

A RT-PCR pode ser usada para análise a partir da coleta de saliva, cuspe ou amostra nasal. No processo, a enzima chamada transcriptase reversa transforma o RNA, que carrega a informação genética do coronavírus, em DNA sintético. Depois, duas fitas simples de DNA são inseridas na amostra e então o material genético amplia-se 100 milhões de vezes. Com isso é possível observar com maior clareza se o conteúdo analisado corresponde ao coronavírus Sars-Cov-2, o que ajuda a analisar se o vírus está presente mesmo que anticorpos ainda não tenham sido recrutados para defender o organismo.

Ao detectar quem está infectado, podemos isolar a pessoa e aquelas que estão em contato com ela, quebrando assim a cadeia de contaminação do coronavírus. Foi exatamente essa a estratégia que a Coreia do Sul tomou no início da pandemia, obtendo sucesso no plano de deixar as pessoas não contaminadas seguirem suas rotinas com pequenas restrições, como o uso de máscara. É apenas com ampla testagem que os governos podem entender a realidade de seu cenário nacional, e essa é a melhor estratégia para planos de saúde pública que visam reduzir o número de mortes, pois se pode prever o futuro com cálculos epidemiológicos e planejar isolamento ou liberação da quarentena.

Escrito por Luiza Mugnol Ugarte.

Quer receber as notícias do IDOR pelo WhatsApp? Clique aqui, salve o nosso número e mande uma mensagem com seu nome completo. Para cancelar, basta pedir!

Veja também