Inscrições abertas: Residência Médica em Patologia (SP)

Visando ensinar e treinar patologistas de alto nível e alinhados às principais atualizações da área, conheça a Residência Médica em Patologia do IDOR/RDSL em São Paulo.

O Patologista é uma peça-chave para prevenção, diagnóstico, tratamento e monitoramento de doenças através de exames em amostras clínicas. Esses especialistas devem conectar diversos aspectos físicos, químicos, biológicos e clínicos para analisar e discutir os resultados histopatológicos, além de ser capazes de sugerir alternativas para uma determinada situação clínica, servindo como importantes consultores para os colegas que solicitam sua avaliação para endereçar o tratamento de pacientes. Com o advento e evolução da Medicina Personalizada, a Patologia assumiu uma importância ainda maior do que representava para a Medicina Tradicional. Hoje o Patologista é uma figura central no manejo clínico do paciente, principalmente na área oncológica e há uma demanda cada vez maior por esses profissionais altamente qualificados.

Ciente desta demanda e buscando capacitar os melhores profissionais, o Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR) está com inscrições abertas para seu Programa de Residência Médica em Patologia na cidade de São Paulo, que foi estruturado para formar novos especialistas capazes não apenas de atuar como profissionais centrais no diagnóstico e planejamento de tratamentos, mas também de se manterem atualizados com os avanços técnicos e científicos da especialidade. No curso, os residentes terão a seu dispor toda a expertise e aparato tecnológico de ponta oferecidos pelo Hospital São Luiz, da Rede D’Or São Luiz (RDSL), e docentes atuantes nas mais diversas áreas da Patologia. “O nosso corpo de patologistas está em expansão, incorporando profissionais de alto nível, reconhecidos em seus campos de atuação. Em São Paulo, o serviço de Patologia conta com 34 profissionais. Além disso, o futuro residente também terá a oportunidade de interagir com os mais de 70 patologistas do serviço em todo o Brasil”, informa o Dr. Antônio Hugo Campos, coordenador da residência na capital paulista.

Campos acrescenta que além de estar em ascensão, o mercado de trabalho para o patologista é bastante diversificado, sendo constituído por pequenos, médios e grandes laboratórios atuantes em todas as regiões do país. Desta forma, ele pode optar por montar seu próprio laboratório, atuar em um dos laboratórios já existentes ou buscar a carreira acadêmica, que também é desenvolvida durante a residência devido à proximidade com o forte braço de pesquisa do IDOR. “Há grande busca por profissionais bem formados e atualizados na especialidade, principalmente com o advento da medicina de precisão”, complementa o Dr. Antônio Hugo.

Ao concluir o curso, o residente estará habilitado para realizar uma avaliação patológica completa de diversos casos, incluindo a avaliação e processamento macroscópicos, interpretação e diagnóstico de biópsias, peças cirúrgicas e exames citológicos, além da indicação e interpretação de exames complementares, como imuno-histoquímica e exames moleculares. O ensino também envolve o aprendizado de trabalho em time, já que o residente aprenderá como interagir com colegas de outras especialidades durante o processo de avaliação dos exames patológicos e durante a discussão de casos selecionados em reuniões multidisciplinares.

A RDSL tem investido fortemente na oferta de serviços médicos de excelência em todas as regiões do país, e possui uma operação sólida e de reconhecida excelência em São Paulo. A Patologia da RDSL já atua há dois anos sob o comando do Prof. Dr. Fernando Augusto Soares, fornecendo serviços de Patologia para 17 hospitais da Grande São Paulo. A vasta gama de casos atendidos, dos mais simples aos mais complexos, aliada a uma estrutura administrativa, laboratorial e científica moderna e homogênea, permitirá aos futuros residentes uma rica experiência e uma sólida formação. Além disso, o programa tem um número reduzido de residentes, priorizando o aprendizado em serviço, sem tornar o residente um ‘tocador de casos'”, comenta o coordenador.

Saiba mais e inscreva-se para a Residência Médica em Patologia (SP)!

 

Escrito por Maria Eduarda Ledo de Abreu

Veja também