O Globo: Estudo do IDOR identifica nova mutação do sars-cov-2

Foto: National Institutes of Health/AFP / National Institutes of Health/AFP

Liderado por Bruno Solano, pesquisador do Instituto D’Or de Ensino e Pesquisa (IDOR) e do Hospital São Rafael, em Salvador, um estudo identificou na capital baiana o primeiro caso de reinfecção no Brasil com uma mutação (E484K) que pode tornar o vírus mais transmissível.

A mutação altera o RDB, ponto em que o novo coronavírus se liga às células humanas. O RDB é a região que abrange a espícula ou S, alvo da maioria das vacinas e dos anticorpos neutralizantes produzidos pelo sistema imunológico. Como é o ponto de ligação entre o vírus e as células, o RDB é atacado pelos anticorpos.

Porém, a mutação confere ao vírus o que os cientistas chamam de mecanismo de escape. Ou seja, mudanças genéticas fazem com que os anticorpos percam a especificidade contra o RDB e o Sars-CoV-2 pode “escapar” e infectar uma pessoa com mais sucesso.

Em tese, isso acontece tanto no caso dos anticorpos produzidos por uma infecção natural quanto daqueles desenvolvidos em resposta a uma vacina. Porém, como a proteína S é “grande”, tem outras regiões alvo, e as vacinas não perderiam sua eficácia.

Confira a matéria completa clicando aqui (conteúdo sujeito à assinatura).

Veja também