Open D’Or participa de estudo sobre inovação, ciência e saúde no mercado brasileiro

Responsável pela plataforma foi entrevistada para compartilhar a experiência e visão do IDOR acerca das oportunidades abrangendo as Hard Sciences.

No mês de Julho, o Open D’Or Healthcare Innovation Hub, plataforma de inovação aberta do Instituto D’Or de pesquisa e Ensino (IDOR), participou de um estudo sobre saúde e inovação coordenado pela aceleradora corporativa Liga Ventures. A pesquisa, intitulada Liga Insights – Hard Science na Saúde, tem como objetivo entregar um panorama geral sobre o empreendedorismo nas Ciências Naturais com foco em Saúde no Brasil. A publicação apresenta as principais oportunidades e desafios para startups deste segmento, mostrando casos reais e soluções já existentes no país, além de debater soluções com base científico-tecnológica dentro do cenário. 

Como fontes, o Liga Insights – Hard Science na Saúde considerou relatórios, estudos e informações de instituições oficiais como a Unesco,  o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, a Organização Mundial da Saúde, entre outras. Os organizadores da pesquisa também entrevistaram mais de 20 profissionais, porta-vozes de grandes empresas, para entender como eles e elas interpretam as startups e negócios que apresentam soluções e produtos para o setor, além das oportunidades e desafios na evolução do segmento.

Representando o IDOR, Gabriela de Salles van der Linden, dirigente do Open D’Or, deu uma entrevista explicando a visão da plataforma diante do mercado de saúde, ciência e tecnologia. Além de enxergar a importância da transformação digital, a plataforma também se vale se de seu acesso direto à pesquisa de qualidade. Uma de suas principais intenções é acelerar e converter o conhecimento científico em soluções práticas e por isso vem estruturando uma frente voltada especialmente para pesquisadores. Van der Linden informa, no entanto, que restam ainda desafios culturais para que essa transição possa ser mais ágil.

“O Open D’Or funciona, hoje, como uma plataforma que tem como objetivo dar suporte para empreendedores de diferentes áreas da saúde, conectando com as estruturas do grupo. Estamos desenvolvendo formas de viabilizar também o apoio a pesquisadores, que possuem um conhecimento profundo em temas extremamente relevantes, como por exemplo neurociência, terapia celular e oncologia, e fomentar o empreendedorismo científico. Vejo que ainda falta a cultura e visão de empreendedorismo no ambiente de pesquisa, mas é um cenário que está mudando. Existe também um outro elemento, que é a importância de se trazer a visão de hard sciences, de pesquisas científicas com potencial disruptivo, combinando com o desenvolvimento de negócios. É um trabalho que precisa a coordenação de diferentes áreas que não têm a tradição de trabalhar em conjunto”, afirma ela em sua entrevista.

Desde sua criação, em 2018, o Open D’Or vem conectando startups inovadoras com os negócios da Rede D’Or São Luiz. Ele já mapeou mais de 500 startups no segmento e está presente em todos os principais eventos de inovação mundiais e nacionais, como o Web Summit, JPM Healthcare Conference, Med in Israel, Hacking.Rio, entre outros. Além de seu interesse em converter o conhecimento científico em soluções digitais práticas na saúde, a plataforma também busca inovação no setor hospitalar apoiando iniciativas que otimizam as jornadas de médicos e pacientes, simplificando e modernizando diversos processos nos hospitais.

Se você quiser se aprofundar mais na conexão entre o mercado científico e tecnológico na saúde, confira o estudo completo da Liga Insights – Hard Science na Saúde clicando aqui e baixando o arquivo através da Liga Ventures.

Escrito por Maria Eduarda Ledo

Quer receber as notícias do IDOR pelo WhatsApp? Clique aqui, salve o nosso número e mande uma mensagem com seu nome completo. Para cancelar, basta pedir!

Veja também