Problemas no sistema sanguíneo podem influenciar patologias cerebrais


Em palestra no IDOR, Dra. Verónica Alvarado falou sobre a relação entre a esquizofrenia e o mau desenvolvimento de vasos sanguíneos no cérebro

Terça-feira passada, 04 de junho, tivemos como palestrante convidada a Dra. Verónica Alvarado, da Universidade do Chile, que veio compartilhar suas pesquisas sobre alterações neurovasculares associadas à esquizofrenia. Baseando-se na colaboração com o Rehen Lab, Laboratório do IDOR e da UFRJ, Dra. Alvarado desenvolveu seu próprio cultivo de células tronco no laboratório o qual faz parte, em Santiago. A partir desse cultivo, é possível induzir as células a se transformarem em neuroesferas, modelos embrionários do cérebro humano.

Utilizando esses organoides cultivados em laboratório, a palestrante relata que observou uma relação entre a esquizofrenia e um mal desenvolvimento neural observado a partir da adolescência, que está intimamente ligado à vascularização do cérebro, isto é, tem relação com o sistema responsável pelo suprimento sanguíneo do órgão. O problema ocorre principalmente na chamada barreira hematoencefálica, que é uma proteção extra, específica da área cerebral, com função de preservar o Sistema Nervoso Central de certas substâncias químicas presentes no sangue. No caso da esquizofrenia, o mal desenvolvimento dessa barreira impacta diretamente a neurogênese do portador da condição, e é apenas uma das patologias que podem ocorrer a partir do mau funcionamento neurovascular. Embora a causa exata da esquizofrenia ainda não seja conhecida, o seguimento de descobertas na área pode trazer mais benefícios aos tratamentos.

Clique aqui e confira a palestra completa.