Inicia-se estudo clínico com aplicação de uma terceira dose de vacina contra COVID-19 encomendado pelo Ministério da Saúde no Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino

Pesquisa visa avaliar o benefício de uma terceira dose de reforço e a combinação de diferentes imunizantes

O Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR) inicia nesta segunda-feira, 16 de agosto, em Salvador, o estudo clínico para avaliar o benefício de uma terceira dose de vacina contra Covid-19 em pessoas que já receberam duas doses da Coronavac, primeiro imunizante disponível no país. A profª Sue Ann Costa Clemens é a pesquisadora nacional do estudo, que tem como Centro Coordenador o IDOR em Salvador, no Hospital São Rafael, e a profª Ana Verena Mendes como pesquisadora principal. O estudo também recrutará a partir desta terça-feira, dia 17, no centro de São Paulo, CRIE-UNIFESP.

O estudo tem parceria com a Universidade de Oxford, seguindo a linha de outros estudos internacionais que investigam a duração de proteção dos imunizantes e as vantagens de se combinar os mesmos. O estudo avaliará a imunogenicidade de uma dose de reforço em indivíduos previamente vacinados com duas doses da vacina Coronavac, utilizando as vacinas anti-COVID-19 disponíveis no Programa  Nacional de Imunização (PNI). Os resultados da pesquisa serão fundamentais para gerar evidências científicas ao Programa Nacional de Imunização (PNI) e para continuar a vacinação que se segue após a imunização primária, como está ocorrendo em países como Chile, entre outros.

O IDOR recrutará 600 voluntários e fará o  acompanhamento médico dos participantes por 30 dias. No total, serão incluídos 1200 voluntários que já receberam duas doses de Coronavac. Eles serão divididos em quatro grupos de 300 pessoas para receber diferentes imunizantes: Coronavac, Oxford/Astrazenca, Pfizer e  Janssen. Os grupos serão divididos em duas faixas etárias, 18 a 59 anos e acima de 60 anos. O estudo é caracterizado como simples-cego – os voluntários só saberão qual vacina receberam ao final do tempo de pesquisa e não poderão escolher o imunizante recebido.

Os voluntários selecionados cumprirão os critérios de seleção determinados pelo protocolo do estudo – pessoas com idade acima de 18 anos, que já tenham recebido as duas doses da Coronavac há seis meses e não desenvolveram a Covid-19 em nenhum momento. O trabalho em Salvador será realizado na unidade do Instituto D’Or, no Hospital São Rafael, da Rede D’Or São Luiz.

Veja também