”Saúde é assunto sério, mas não precisa ser complicado”

Em entrevista, profissionais da D’Or Consultoria falam sobre os bastidores e motivação por trás de seus quizzes sobre a Covid-19, que já impactaram milhões de brasileiros nas redes sociais

 

Na semana passada, a D’Or Consultoria lançou o terceiro quiz da série Fato ou Fake, iniciativa que tem como objetivo divulgar informações confiáveis relacionadas à pandemia através de testes de conhecimento que viralizaram entre a população. No lançamento do projeto, cujo o tema foi o novo coronavírus, os compartilhamentos já foram realizados por 8 milhões de brasileiros.

O novo quiz, agora, vira sua atenção para a importância das vacinas, trazendo questões históricas e também relacionadas às vacinas de Oxford, cuja testagem está sendo em parte realizada pelo o Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR). O IDOR foi responsável pela revisão do conteúdo do quiz, garantindo a veracidade das informações.

Para sabermos um pouco mais do processo criativo da D’Or Consultoria para desenvolvimento dos quizzes, entrevistamos três de seus profissionais envolvidos no processo: Bernardo Igreja, redator, Júnior Gauze, webdesigner e Alexandre Buika, superintendente de Marketing & Comunicação da D’Or Consultoria e da Rede D’Or São Luiz. Confira abaixo a entrevista!

 

1- Como foi e como vem sendo a experiência da D’Or Consultoria na divulgação de conhecimentos em saúde? Quais os principais desafios? 

Alexandre Buika: Antes mesmo do cenário do coronavírus, sempre estivemos centrados e focados em falar na hora certa, com a pessoa certa, na linguagem certa. Isso não mudou. Trabalhamos sob a premissa de que “saúde é assunto sério, mas não precisa ser complicado”. E em um contexto de pandemia, inédito para nossa geração, o desafio é falar de um assunto complexo, sério e que todo o mundo está abordando o tempo inteiro e, ainda assim, se manter interessante.

Bernardo Igreja: Como Marketing & Comunicação de uma das maiores consultorias do país, que hoje administra 2 milhões de vidas e soma cerca de 700 colaboradores, estamos em constante evolução, ouvindo e observando àquilo que as pessoas querem ouvir, para que a marca D’Or comunique de uma forma natural, humana e objetiva. Com a pandemia, a velocidade com que o tema se torna clichê é muito alta, por isso, tratar de forma descomplicada um tema tão contundente é um aliado na democratização do conteúdo.

 

2 – De onde veio essa ideia de espalhar conhecimento e medidas de prevenção de forma orgânica?

Júnior Gauze: Tratar esse tema de forma mais lúdica para levar conhecimento, que é uma das grandes chaves de prevenção ao coronavírus, foi o caminho que encontramos para que a informação alcançasse o maior número de pessoas possível.
No lançamento do Quiz do Coronavírus (Fato ou Fake Covid-19), o número de 1,5 milhão de acessos foi conseguido logo nos primeiros 10 dias. Chegamos, em um único dia, a quase 700 mil acessos e um pico de 2 mil pessoas, por segundo, respondendo ao jogo. Hoje estamos com 8,4 milhões de acessos e em primeiro lugar nas buscas do Google, desde a primeira semana de seu lançamento.

 

3 – Que levantamento é feito para selecionar as perguntas? E como vocês fazem para garantir a divulgação de informações confiáveis sobre o novo coronavírus. A quem vocês recorrem?

A.B.: O Grupo Rede D’Or São Luiz, num todo, entende a importância da comunicação em suas frentes. A colaboração entre as partes é constante, especialmente, em temas que envolvem pesquisa científica, especialidade do IDOR, como é o caso do novo coronavírus. Um dos últimos conteúdos no qual trabalhamos lado a lado foi a recém-lançada Cartilha IDOR contra a Covid-19, que é uma espécie de guia sobre a doença.
A D’Or Consultoria tem essa vantagem de estar diretamente ligada ao maior grupo hospitalar do país, o que se soma ao fato de que nosso próprio time de Marketing & Comunicação é composto por pessoas com expertises diversas.

B.I.: Nossa equipe, com profissionais de especialidades variadas, traz grandes diferenciais em nossas campanhas, que sempre contaram com um tempo dedicado ao planejamento e à pesquisa, parte fundamental do processo. Com a Covid-19, o desafio é ainda maior: falar de um assunto sobre o qual muito ainda está por se descobrir. Nestes casos, contamos sempre com a sensibilidade e expertise de nossos peritos para decidir se devemos mergulhar ou não em algum tema mais específico.

 

4 – O tema do quiz atual foi sobre vacinas. Está claro para nós que o momento é muito oportuno. O que vocês esperam alcançar com esta iniciativa em particular? 

B.I.: O Quiz das Vacinas surgiu como uma sugestão do Dr. Claudio Ferrari [oncologista e diretor de Comunicação do IDOR] ao Marketing & Comunicação. Por ser um entusiasta do universo das vacinas e também por estar envolvido no processo de testagem das vacinas de Oxford, ele enxergou a oportunidade de explorarmos um tema que muito comumente sofre com boatos e polêmicas. 

A.B.: Diferentemente das duas primeiras edições, a abordagem do Quiz das Vacinas não é exclusivamente sobre a Covid-19 ou sobre sua vacina, mas, inevitavelmente, bebe dessa fonte, à medida que não há como falar de vacinação na atualidade sem trazer o que se tem de mais recente sobre a corrida pela cura da doença. Nesse ponto específico, poder contar com a chancela do IDOR, instituição que esteve à frente dos testes da Vacina de Oxford, foi um grande trunfo.

 

5 – Como é o processo de decisão do tema?

J.G.: Por conta do grande sucesso do primeiro quiz do coronavírus, pudemos analisar e levantar dados importantes para entender o perfil da população que tinha mais interesse no assunto. Descobrimos que o maior engajamento vinha de mulheres entre 25 e 45 anos, ou seja, que estavam em um possível período propício para a gravidez. A partir desses dados, por exemplo, nós traçamos uma ligação direta com a campanha de amamentação da época e fizemos o segundo quiz da série, com o objetivo de trazer apoio e informação para esse perfil de mães e gestantes durante o contexto pandêmico.

 

6 – Contem-me mais sobre a experiência pessoal de vocês com essa ação. 

B.I.: Quando o quiz I viralizou, passamos a brincar que ele havia ganhado vida própria. Se tornou muito comum para todos da equipe de Marketing e de outras áreas da empresa recebê-lo nos mais diversos grupos de WhatsApp. Muitas pessoas de fora da empresa também nos procuravam para contar que haviam recebido o quiz a partir de fontes completamente independentes e desassociadas à D’Or. Acho que este foi o maior legado: termos conseguido viralizar um conteúdo técnico de qualidade em tempos em que é muito mais comum conseguir o oposto, com notícias falsas ou de procedência contestável.

J.G.: Os feedbacks positivos vieram dos mais diversos lugares do Brasil!  É muito gratificante saber que disseminamos informação correta e de qualidade, em um momento de pandemia onde as pessoas precisavam estar ainda mais informadas. Informação sobre saúde não precisa ser chata e encontramos uma forma de passá-la sendo leve e divertida.

A.B.: Concluo que temos um grande desafio em observar a necessidade do nosso público. No contexto que nos encontramos, o digital está muito mais presente nas nossas vidas, por isso, o formato quiz é uma forma divertida, didática e que atrai os mais diversos tipos de pessoas em busca de informação com procedência. Não existe uma fórmula pronta, muito menos certa, mas o exercício de observação e planejamento a curto prazo são fatores que têm se mostrado certeiros (até hoje). Tudo isso, sem deixar a essência do Grupo Rede D’Or São Luiz, centrada no cuidado com as pessoas.

 

Se você ainda ainda não fez o Quiz das Vacinas, teste seus conhecimentos e aprenda novas informações clicando aqui!

Caso tenha perdido algum dos quizzes anteriores ou queira checar se sua memória segue aguçada, nós estamos deixando os links logo abaixo. E não esqueça de compartilhar com seus amigos e familiares!

Quiz I – Coronavírus

Quiz II – Gravidez e amamentação na pandemia

Entrevista realizada por Maria Eduarda Ledo

Quer receber as notícias do IDOR pelo WhatsApp? Clique aqui, salve o nosso número e mande uma mensagem com seu nome completo. Para cancelar, basta pedir!

Veja também