array(57) { ["SERVER_SOFTWARE"]=> string(6) "Apache" ["REQUEST_URI"]=> string(35) "/instituto/idorfelizes-para-sempre/" ["PHP_PATH"]=> string(24) "/opt/bitnami/php/bin/php" ["FREETDSLOCALES"]=> string(0) "" ["FREETDSCONF"]=> string(0) "" ["OPENSSL_ENGINES"]=> string(31) "/opt/bitnami/common/lib/engines" ["OPENSSL_CONF"]=> string(39) "/opt/bitnami/common/openssl/openssl.cnf" ["SSL_CERT_FILE"]=> string(52) "/opt/bitnami/common/openssl/certs/curl-ca-bundle.crt" ["CURL_CA_BUNDLE"]=> string(52) "/opt/bitnami/common/openssl/certs/curl-ca-bundle.crt" ["LDAPCONF"]=> string(42) "/opt/bitnami/common/etc/openldap/ldap.conf" ["GS_LIB"]=> string(43) "/opt/bitnami/common/share/ghostscript/fonts" ["MAGICK_CODER_MODULE_PATH"]=> string(60) "/opt/bitnami/common/lib/ImageMagick-6.9.8/modules-Q16/coders" ["MAGICK_CONFIGURE_PATH"]=> string(73) "/opt/bitnami/common/lib/ImageMagick-6.9.8/config-Q16:/opt/bitnami/common/" ["MAGICK_HOME"]=> string(19) "/opt/bitnami/common" ["PATH"]=> string(260) "/opt/bitnami/apps/wordpress/bin:/opt/bitnami/varnish/bin:/opt/bitnami/sqlite/bin:/opt/bitnami/php/bin:/opt/bitnami/mysql/bin:/opt/bitnami/letsencrypt/:/opt/bitnami/apache2/bin:/opt/bitnami/common/bin:/usr/local/sbin:/usr/local/bin:/usr/sbin:/usr/bin:/sbin:/bin" ["USER"]=> string(6) "daemon" ["HOME"]=> string(9) "/usr/sbin" ["SCRIPT_NAME"]=> string(10) "/index.php" ["QUERY_STRING"]=> string(0) "" ["REQUEST_METHOD"]=> string(3) "GET" ["SERVER_PROTOCOL"]=> string(8) "HTTP/1.0" ["GATEWAY_INTERFACE"]=> string(7) "CGI/1.1" ["REDIRECT_URL"]=> string(35) "/instituto/idorfelizes-para-sempre/" ["REMOTE_PORT"]=> string(5) "37875" ["SCRIPT_FILENAME"]=> string(44) "/opt/bitnami/apps/wordpress/htdocs/index.php" ["SERVER_ADMIN"]=> string(15) "you@example.com" ["CONTEXT_DOCUMENT_ROOT"]=> string(34) "/opt/bitnami/apps/wordpress/htdocs" ["CONTEXT_PREFIX"]=> string(0) "" ["REQUEST_SCHEME"]=> string(4) "http" ["DOCUMENT_ROOT"]=> string(34) "/opt/bitnami/apps/wordpress/htdocs" ["REMOTE_ADDR"]=> string(13) "15.229.25.218" ["SERVER_PORT"]=> string(2) "80" ["SERVER_ADDR"]=> string(13) "172.26.13.183" ["SERVER_NAME"]=> string(13) "54.225.48.228" ["SERVER_SIGNATURE"]=> string(0) "" ["LD_LIBRARY_PATH"]=> string(410) "/opt/bitnami/sqlite/lib:/opt/bitnami/mysql/lib:/opt/bitnami/apache2/lib:/opt/bitnami/common/lib:/opt/bitnami/sqlite/lib:/opt/bitnami/mysql/lib:/opt/bitnami/apache2/lib:/opt/bitnami/common/lib:/opt/bitnami/varnish/lib:/opt/bitnami/varnish/lib/varnish:/opt/bitnami/varnish/lib/varnish/vmods:/opt/bitnami/sqlite/lib:/opt/bitnami/mysql/lib:/opt/bitnami/apache2/lib:/opt/bitnami/common/lib:/opt/bitnami/common/lib64" ["HTTP_ACCEPT_ENCODING"]=> string(7) "br,gzip" ["HTTP_VIA"]=> string(64) "1.1 4f9e9e3e8a2a5cea2848aac8473267f2.cloudfront.net (CloudFront)" ["HTTP_X_AMZ_CF_ID"]=> string(56) "fiQWS7oo5SaLwXZaoinA7yv_eIdqKnvUbdduZXS9Ein_BNq7BuicHA==" ["HTTP_USER_AGENT"]=> string(17) "Amazon CloudFront" ["HTTP_X_AMZN_TRACE_ID"]=> string(40) "Root=1-62fa49a6-04541b026372d9e2295cfcfb" ["HTTP_X_FORWARDED_PORT"]=> string(2) "80" ["HTTP_CONNECTION"]=> string(5) "close" ["HTTP_X_FORWARDED_PROTO"]=> string(4) "http" ["HTTP_X_FORWARDED_FOR"]=> string(44) "18.207.157.152, 64.252.69.227, 10.247.45.143" ["HTTP_X_REAL_IP"]=> string(13) "10.247.45.143" ["HTTP_X_FORWARDED_HOST"]=> string(25) "www.rededorsaoluiz.com.br" ["HTTP_HOST"]=> string(13) "54.225.48.228" ["SCRIPT_URI"]=> string(55) "http://54.225.48.228/instituto/idorfelizes-para-sempre/" ["SCRIPT_URL"]=> string(35) "/instituto/idorfelizes-para-sempre/" ["REDIRECT_STATUS"]=> string(3) "200" ["REDIRECT_SCRIPT_URI"]=> string(55) "http://54.225.48.228/instituto/idorfelizes-para-sempre/" ["REDIRECT_SCRIPT_URL"]=> string(35) "/instituto/idorfelizes-para-sempre/" ["FCGI_ROLE"]=> string(9) "RESPONDER" ["PHP_SELF"]=> string(10) "/index.php" ["REQUEST_TIME_FLOAT"]=> float(1660570022.6645) ["REQUEST_TIME"]=> int(1660570022) }

Felizes para sempre?

Felizes para sempre?

Neurofeedback e Controle das Emoções

Será que existe uma máquina capaz de mudar a maneira como
uma pessoa percebe ou expressa suas emoções? Como isso se refletiria nos
relacionamentos amorosos? É o que tentam responder os pesquisadores dos
departamentos de Neurociência Cognitiva e Neuroinformática do Insitituto D’Or
de Pesquisa e Ensino (IDOR).

Atualmente, existem algumas técnicas de neuroimagem que
permitem a visualização do cérebro humano em pleno funcionamento. Utilizando
uma dessas técnicas, a Ressonância Magnética funcional (RMf), os pesquisadores
do IDOR estudam como é possível ensinar às pessoas a controlarem sua própria
atividade cerebral, a partir do treinamento com o Neurofeedback.

Termômetro que mostra em tempo real ao voluntário o nível de seu funcionamento cerebral.

Com a RMf, é possível
medir o nível do funcionamento cerebral de um voluntário enquanto ele está
deitado dentro do aparelho. Com a ajuda de um software desenvolvido pela equipe de
Neuroinformática do IDOR, um computador então “lê” a atividade do cérebro,
mostrando essa leitura para o voluntário em tempo real.  Assistindo na TV como está a ativação de determinadas áreas do cérebro naquele exato
momento, o voluntário aprende a controlá-las.

Diversos estudos vêm demonstrando que, ao receberem
treinamento adequado, voluntários saudáveis são capazes de aprender a controlar
o seu próprio cérebro. Ainda, o controle do funcionamento cerebral acaba se
refletindo no comportamento, induzindo mudanças na sensação de dor, sintomas de
depressão e reconhecimento de imagens, por exemplo.

É aí que entram as
emoções!

“A neurociência
avançou muito nos últimos anos. De maneira geral, já se sabe quais circuitos
cerebrais são importantes para a expressão das emoções. Se o neurofeedback for capaz de ensinar às
pessoas a controlarem esses circuitos, será que isso se refletirá em como elas
percebem ou manifestam suas emoções?”, conta a doutoranda Julie Weingartner.

Em um primeiro estudo, publicado no periódico PLOS ONE em
2014, os pesquisadores mostraram que voluntários saudáveis são capazes de
controlar a rede cerebral responsável pelos sentimentos de ternura e afeto. Agora,
o objetivo é estudar emoções um pouco mais complexas e entender como o controle
das emoções se traduz no comportamento e nas relações diárias.

Além do impacto sobre as relações interpessoais (amorosas ou
não), os pesquisadores acreditam que o neurofeedback
pode ser uma importante ferramenta para pessoas que sofrem de desordens
psiquiátricas, como depressão pós-parto e personalidade antissocial, por
exemplo. Nestes pacientes, a disfunção cerebral relacionada à redução do
comportamento pró-social – aquele que beneficia as relações entre as pessoas –
poderia ser revertida, ainda que parcialmente, o que teria impacto
significativo sobre sua qualidade de vida. 

“O avanços científicos recentes têm permitido melhor
entendimento sobre o controle das emoções. Acreditamos que o neurofeedback é uma excelente
ferramenta, que pode abrir novos caminhos para tratamento de doenças
psiquiátricas” finaliza Julie.

12.06.2017

Conteúdo Relacionado