array(57) { ["SERVER_SOFTWARE"]=> string(6) "Apache" ["REQUEST_URI"]=> string(48) "/instituto/idorintegracao-e-inovacao-na-ciencia/" ["PHP_PATH"]=> string(24) "/opt/bitnami/php/bin/php" ["FREETDSLOCALES"]=> string(0) "" ["FREETDSCONF"]=> string(0) "" ["OPENSSL_ENGINES"]=> string(31) "/opt/bitnami/common/lib/engines" ["OPENSSL_CONF"]=> string(39) "/opt/bitnami/common/openssl/openssl.cnf" ["SSL_CERT_FILE"]=> string(52) "/opt/bitnami/common/openssl/certs/curl-ca-bundle.crt" ["CURL_CA_BUNDLE"]=> string(52) "/opt/bitnami/common/openssl/certs/curl-ca-bundle.crt" ["LDAPCONF"]=> string(42) "/opt/bitnami/common/etc/openldap/ldap.conf" ["GS_LIB"]=> string(43) "/opt/bitnami/common/share/ghostscript/fonts" ["MAGICK_CODER_MODULE_PATH"]=> string(60) "/opt/bitnami/common/lib/ImageMagick-6.9.8/modules-Q16/coders" ["MAGICK_CONFIGURE_PATH"]=> string(73) "/opt/bitnami/common/lib/ImageMagick-6.9.8/config-Q16:/opt/bitnami/common/" ["MAGICK_HOME"]=> string(19) "/opt/bitnami/common" ["PATH"]=> string(260) "/opt/bitnami/apps/wordpress/bin:/opt/bitnami/varnish/bin:/opt/bitnami/sqlite/bin:/opt/bitnami/php/bin:/opt/bitnami/mysql/bin:/opt/bitnami/letsencrypt/:/opt/bitnami/apache2/bin:/opt/bitnami/common/bin:/usr/local/sbin:/usr/local/bin:/usr/sbin:/usr/bin:/sbin:/bin" ["USER"]=> string(6) "daemon" ["HOME"]=> string(9) "/usr/sbin" ["SCRIPT_NAME"]=> string(10) "/index.php" ["QUERY_STRING"]=> string(0) "" ["REQUEST_METHOD"]=> string(3) "GET" ["SERVER_PROTOCOL"]=> string(8) "HTTP/1.0" ["GATEWAY_INTERFACE"]=> string(7) "CGI/1.1" ["REDIRECT_URL"]=> string(48) "/instituto/idorintegracao-e-inovacao-na-ciencia/" ["REMOTE_PORT"]=> string(5) "37048" ["SCRIPT_FILENAME"]=> string(44) "/opt/bitnami/apps/wordpress/htdocs/index.php" ["SERVER_ADMIN"]=> string(15) "you@example.com" ["CONTEXT_DOCUMENT_ROOT"]=> string(34) "/opt/bitnami/apps/wordpress/htdocs" ["CONTEXT_PREFIX"]=> string(0) "" ["REQUEST_SCHEME"]=> string(4) "http" ["DOCUMENT_ROOT"]=> string(34) "/opt/bitnami/apps/wordpress/htdocs" ["REMOTE_ADDR"]=> string(14) "18.230.193.191" ["SERVER_PORT"]=> string(2) "80" ["SERVER_ADDR"]=> string(13) "172.26.13.183" ["SERVER_NAME"]=> string(13) "54.225.48.228" ["SERVER_SIGNATURE"]=> string(0) "" ["LD_LIBRARY_PATH"]=> string(410) "/opt/bitnami/sqlite/lib:/opt/bitnami/mysql/lib:/opt/bitnami/apache2/lib:/opt/bitnami/common/lib:/opt/bitnami/sqlite/lib:/opt/bitnami/mysql/lib:/opt/bitnami/apache2/lib:/opt/bitnami/common/lib:/opt/bitnami/varnish/lib:/opt/bitnami/varnish/lib/varnish:/opt/bitnami/varnish/lib/varnish/vmods:/opt/bitnami/sqlite/lib:/opt/bitnami/mysql/lib:/opt/bitnami/apache2/lib:/opt/bitnami/common/lib:/opt/bitnami/common/lib64" ["HTTP_ACCEPT_ENCODING"]=> string(7) "br,gzip" ["HTTP_VIA"]=> string(64) "1.1 1bd7d779bed244375679d82e1821cc3c.cloudfront.net (CloudFront)" ["HTTP_X_AMZ_CF_ID"]=> string(56) "Q_9F3XXuxb-j0g3GR_UwdF_3lQWtS-aYwn0GxRfNkaarFuA-THcaug==" ["HTTP_USER_AGENT"]=> string(17) "Amazon CloudFront" ["HTTP_X_AMZN_TRACE_ID"]=> string(40) "Root=1-62f1afa8-0a26dc4121813d082224d401" ["HTTP_X_FORWARDED_PORT"]=> string(2) "80" ["HTTP_CONNECTION"]=> string(5) "close" ["HTTP_X_FORWARDED_PROTO"]=> string(4) "http" ["HTTP_X_FORWARDED_FOR"]=> string(41) "3.235.140.84, 64.252.69.52, 10.247.45.143" ["HTTP_X_REAL_IP"]=> string(13) "10.247.45.143" ["HTTP_X_FORWARDED_HOST"]=> string(25) "www.rededorsaoluiz.com.br" ["HTTP_HOST"]=> string(13) "54.225.48.228" ["SCRIPT_URI"]=> string(68) "http://54.225.48.228/instituto/idorintegracao-e-inovacao-na-ciencia/" ["SCRIPT_URL"]=> string(48) "/instituto/idorintegracao-e-inovacao-na-ciencia/" ["REDIRECT_STATUS"]=> string(3) "200" ["REDIRECT_SCRIPT_URI"]=> string(68) "http://54.225.48.228/instituto/idorintegracao-e-inovacao-na-ciencia/" ["REDIRECT_SCRIPT_URL"]=> string(48) "/instituto/idorintegracao-e-inovacao-na-ciencia/" ["FCGI_ROLE"]=> string(9) "RESPONDER" ["PHP_SELF"]=> string(10) "/index.php" ["REQUEST_TIME_FLOAT"]=> float(1660006312.7338) ["REQUEST_TIME"]=> int(1660006312) }

Integração e inovação na ciência

Integração e inovação na ciência

No último dia 14 de
maio, o Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino recebeu a primeira edição
brasileira do Biotech Tonic, evento científico que visa estimular a inovação e a
colaboração. A principal atração do dia foi um bate-papo com o bioquímico Pablo
Valenzuela, da Universidade do Chile, que guarda no currículo feitos como a
invenção da vacina recombinante contra hepatite B e o descobrimento do vírus da
hepatite C. O cientista falou sobre sua trajetória de pesquisa e
empreendedorismo, em conversa com o público mediada pelo biotecnólogo Cristián
Hernandez, da Fundação Ciência e Vida – organização chilena criadora do Biotech Tonic e dedicada à promoção da ciência pelo
desenvolvimento.

A carreira de Valenzuela
exemplifica bem como é possível misturar pesquisa científica e
empreendedorismo. Por um lado, o bioquímico publicou mais de mil artigos nos
principais periódicos mundiais e recebeu láureas como o Prêmio Nacional Chileno
de Ciências Aplicadas e Tecnologia, em 2002. Por outro, foi um dos fundadores,
em 1981, da Chiron Corporation, que mais tarde se tornaria a segunda maior
empresa de biotecnologia do mundo, e responsável por pelo menos 50 patentes.
Parte da explicação pelo grande sucesso que atingiu pode ser explicada por um
período que passou nos Estados Unidos, onde a relação entre pesquisa e inovação
é estreita.

Na década de 1970, o
pesquisador fez estágio de pós-doutorado na Universidade da Califórnia em São
Francisco (UCSF). Naquela época, dedicava-se a entender o funcionamento
molecular de fungos unicelulares conhecidos como leveduras, que, por serem organismos
muito semelhantes às células do nosso organismo, constituem importante modelo para
entender a expressão genética humana. Nesses estudos, injetava vírus nas
leveduras, a fim de identificar alterações moleculares específicas decorrentes
da infecção – foi assim que passou a estudar o material genético do vírus da
hepatite B, utilizado em seus experimentos. Era o primeiro passo para a criação
da vacina.

O processo para a
formulação do imunizante consiste em inserir uma pequena fração do material
genético do vírus na levedura. O fungo passa, então a produzir partículas virais,
inofensivas à saúde humana, mas suficientes para disparar resposta do sistema
imunológico. “O produto das leveduras é tão semelhante ao vírus que tem um
potencial imunológico imenso”, contou Valenzuela. Como o processo é seguro, a
vacina é, atualmente, recomendada para pessoas de todas as idades, inclusive recém-nascidos.
Sua popularização derrubou drasticamente o número de mortes no mundo causadas
pela doença. “Existe grande possibilidade de a hepatite B desaparecer, tendo em
vista a eficiência da vacina”, apostou.

 

Ciência que vira negócio

Distribuída amplamente
para proteção contra hepatite B e carcinoma hepatocelular – um tipo de câncer
no fígado que pode se desenvolver a partir da infecção pelo vírus –, a vacina
garante hoje para a UCSF uma das maiores receitas entre as universidades
norte-americanas. “A ciência é fundamental para a inovação. Tudo começa com ciência
básica, quando se entende o que se faz. Nesse caminho, é possível identificar
oportunidades”, refletiu Valenzuela, que nem imaginava desenvolver a vacina
contra hepatite B ao iniciar seus estudos com leveduras. Bem-humorado, o
cientista confessou que, na época em que começou o pós-doutorado, sequer sabia
que não existia vacina contra a doença.

Ainda na Califórnia,
Valenzuela criou a Chiron Corporation, em parceria com outros dois cientistas
da universidade, William J. Rutter e Edward Penhoet. A proposta era desenvolver
uma empresa de cientistas para cientistas, concedendo espaço a novas pesquisas
e descobertas, além de fomentar a criação de produtos na área de biotecnologia.
As últimas etapas do desenvolvimento da vacina contra hepatite B foram
realizadas por lá.

A Chiron também esteve
envolvida em outros projetos de grande relevância para a saúde pública mundial.
Por exemplo, foi pioneira no sequenciamento genético dos vírus da hepatite C e da
Aids (HIV), em um momento em que a comunidade médica internacional enfrentava
um grande desafio: frear a ocorrência da transmissão desses vírus durante
transfusões de sangue. Na Chiron, foi desenvolvida a primeira tecnologia capaz
de identificar a presença do HIV e do vírus da hepatite C em bolsas de sangue,
o que aumentou a segurança das transfusões.

Depois dessas
iniciativas de sucesso, a Chiron foi comprada pela gigante da indústria farmacêutica
Novartis em 2006. Valenzuela criou, então, a Fundação Ciência e Vida, instituto
de pesquisa, ensino e inovação ao qual se dedica até hoje.

?

(crédito da imagem: GarryKillian / Freepik)

18.05.2018

Conteúdo Relacionado