Efeitos Adversos

Oncologia

Quais são os efeitos adversos e colaterais do tratamento contra o câncer?

O tratamento contra o câncer pode envolver diversas modalidades: cirurgia, quimioterapia, radioterapia, hormonioterapia, terapia alvo-molecular e Imunoterapia. A indicação do tratamento depende do tipo de tumor, condições clínicas do paciente e estadiamento da doença.

No entanto, o tratamento para combater o câncer pode trazer efeitos colaterais, que dependem do tipo de tratamento administrado. Os quimioterápicos, que possuem uma ação mais genérica, podem levar a alguns efeitos adversos tais como como cansaço, alteração de paladar, náuseas e vômitos. É importante ressaltar que tais efeitos variam de medicação para medicação e diversas são as estratégias utilizadas para minimizar tais reações.

A partir do conhecimento das alterações genéticas envolvidas no crescimento de alguns tumores específicos foi possível o desenvolvimento de drogas com ação mais direcionada contra os tumores, o que chamamos de terapia alvo. Em geral, como estes tratamentos são mais específicos para o controle de um determinado tumor, os efeitos adversos são mais brandos. 

É importante lembrar, no entanto, que esses efeitos adversos são temporários e passageiros. O adequado conhecimento destes efeitos pelo médico e o paciente facilitam o seu manejo, buscando uma melhor qualidade de vida ao longo do tratamento.

Cada vez mais surgem novas opções de tratamento contra o câncer, em que os efeitos adversos são cada vez menos capazes de interferir no dia-a-dia do paciente. É o caso da imunoterapia, que atua facilitando a resposta imunológica do paciente contra o câncer e já é utilizada para tratamento de alguns tipos de tumores como melanoma, câncer de pulmão e câncer de rim, entre outros. 

A Oncologia D’Or está presente em 8 estados de todo o Brasil, oferecendo atendimento oncológico de excelência, capaz de não só auxiliar no combate ao câncer, como também de trabalhar para que os efeitos colaterais do tratamento de câncer não causem maiores sofrimentos ao paciente. Por mês, são feitos mais de 20.000 atendimentos oncológicos a cerca de 5.000 pacientes.