Novidades

Rede D´Or entre 5 maiores doadoras do Brasil

24/06/2020

A Rede D’Or São Luiz tem o orgulho fazer parte da reportagem de capa da revista Forbes como a 5ª colocada entre as 100 maiores empresas doadoras do Brasil. Ao todo, já doamos mais de R$ 110 milhões, que foram destinados à reforma de centenas de leitos, à montagem e à operação de dois hospitais de campanha e a diversas outras iniciativas que fizeram parte de uma inédita corrente de ajuda na luta contra a COVID-19.

Como nunca visto no Brasil, a corrente de ajuda estimulou 346.266 doadores a disponibilizar RS 5.475.397.525,00 na luta contra a Covid-19 e seus efeitos mais imediatos na sociedade. Conheça 100 empresas que se mobilizaram para salvar vidas e tirar o país da calamidade o quanto antes

O ineditismo das consequências da pandemia do novo coronavirus no Brasil não vai entrar para os livros de história apenas pelo viés dramático do número de vítimas fatais e da recessão econômica acachapante. A Covid-19 despertou o brasileiro para uma corrente de solidariedade que também nunca se tinha visto por aqui. Em dois meses – de 31 de março a 31 de maio, período considerado para este levantamento foram doados mais de R$ 5,4 bilhões em resposta à terra arrasada causada pelo vírus, montante que é resultado da atitude de 346.266 doadores.

Os dados foram compilados pelo site Monitor das Doações, criado pela Associação Brasileira de Captadores de Recursos (ABCR), que faz parte de uma rede mais ampla chamada Movimento por uma Cultura de Doação, e foram verificados pela Forbes junto às empresas. Doações em produtos, matéria-prima, logística e outros itens não monetários foram convertidos em reais.

“Quando o Monitor das Doações Covid-19 foi ao ar, ele estava cm R$ 450 milhões. Hoje esse número é dez vezes maior. Surpreendeu-nos com o ele cresceu rápido, e com o engajou a sociedade civil para fazer a diferença na vida das pessoas. Em dois meses, as empresas doaram muito mais do que costumam doar em um ano inteiro”, afirma João Paulo Vergueiro, diretor executivo da associação. Ele credita esse resultado ao fato de o vírus ter atingido todas as camadas sociais do país. “A causa é de todos. Quando temos um motivo que mexe com todos nós, que nos impacta, som os inspirados a doar e sermos ainda mais generosos. O desafio é fazer essa generosidade ser permanente.”

 

REDE  D’OR

RS 110 milhões para compra de equipamentos e construção de hospitais de campanha Aquisição de respiradores pulmonares, insumos médicos e construção de hospitais estão entre os principais focos da doação de R$ 110 milhões da Rede D’Or anunciada em abril. Em parceria com outras empresas, a maior rede de hospitais particulares do país não mede esforços para a ampliação do número de leitos destinados a atender às milhares de vítimas que estão sendo infectadas pela pandemia da Covid-19.

No Rio de Janeiro, a rede gerenciou a construção de dois hospitais de campanha com capacidade de 400 leitos, sendo 150 de UTI, em parceria com empresas do porte da SulAmérica, Stone, Bradesco Saúde e P&G. Ainda no Rio, a parceria com a UnitedHealth, por sua vez, garantiu a abertura de os leitos no Hospital São Francisco da Ordem Terceira Penitência.

No dia 11 de maio, começaram funcionar o Hospital de Campanha no Parque dos Atletas, na Barra da Tijuca, com 200 leitos (50 de UTI) – foi o quarto hospital desse tipo a ser aberto na cidade. A expectativa é que funcione por quatro meses e receba 2 mil pacientes. Ao custo de R$ 50 milhões, bancado pela Rede D’Or e outros parceiros, o hospital ficou pronto dias antes do esperado, tamanha a força-tarefa para colocá-lo em pé, e, assim, desafogar os hospitais e unidades de saúde básica que já estavam lotados.

Em São Paulo, a rede atuou para entregar à Santa Casa de Misericórdia 102 novos leitos (30 de UTI). Na capital paulista, destinou ao Hospital das Clínicas 10 mil máscaras do modelo N95. As regiões Norte e Nordeste também foram beneficiadas.

 

 

Fonte: Reportagem de Décio Galina, Forbes

Veja também