Você sabe o que é Constipação? - Hospital viValle

Você sabe o que é Constipação?

05/12/2012

A Constipação é um sintoma que pode se manifestar de maneiras diferentes para cada pessoa. A infrequência na evacuação é mais comum, mas a diminuição de volume ou peso das fezes, a necessidade de esforço durante a evacuação, a sensação de evacuação incompleta também são formas de manifestação da doença.

 

 Cerca de 80% das pessoas sofrem de Constipação em algum momento de suas vidas, e períodos breves de constipação são normais. O caso passa a ter necessidade de observação quando a evacuação ocorre menos de três vezes por semana.

 

 É considerada normal a evacuação de três vezes ao dia a três vezes por semana. E o tipo de dieta interfere no funcionamento intestinal. Uma dieta equilibrada deve proporcionar a ingestão de 25 a 30 gramas de fibras e de 1,7 a 2,4 litros de líquidos diariamente. Exercícios físicos também são importantes para o bom funcionamento intestinal.

 

 

O que provoca a constipação?

 

 Hábitos de vida e fatores externos podem causar a alteração de funcionamento intestinal. São eles:

 

Consumo inadequado ou insuficiente de fibras;

Consumo inadequado de líquidos;

Sedentarismo;

Viagens;

Gravidez;

Alterações na dieta;

Não evacuação quando surge a vontade.

 

Mas existem fatores mais graves que podem ser a causa da Constipação:

Tumores;

Áreas de estreitamento no cólon;

Lesão de medula;

Diabetes;

Esclerodermia;

Distúrbios do sistema nervoso;

Doenças da tireoide;

Esclerose múltipla;

Doença de Parkinson.

 

A Constipação também pode ser ocasionada por medicamentos. Entre eles estão os analgésicos, antidepressivos, tranquilizantes, medicamentos para tratamentos psiquiátricos, medicamentos para pressão sanguínea, diuréticos, suplementos de ferro, suplementos de cálcio, e antiácidos que contêm alumínio.

 

 

Devo procurar um médico em caso de Constipação?

 

Quando ocorrem alterações persistentes dos hábitos intestinais por mais de três semanas, é recomendado fazer uma avaliação médica. Em caso de presença de sangue nas fezes, o médico deve ser procurado rapidamente.

 

 

Como é feito o diagnóstico?

 

O exame de toque na área anorretal é um exame relativamente simples que pode fornecer pistas sobre as causas ocultas do problema. Para investigar eventuais causas anatômicas, como tumores ou áreas de estreitamento do cólon, o exame do intestino com um instrumento flexível iluminado ou o teste do raio-x com bário pode ser necessário. Quando se identifica um problema anatômico, o tratamento pode ser direcionado para a correção da anormalidade.

 

Causas funcionais podem ser identificadas através do exame com marcadores, no qual o paciente engole uma cápsula que pode ser monitorada por meio de radiografias tiradas durante o período de alguns dias. Esse exame fornece informações sobre possíveis distúrbios no funcionamento muscular dentro do intestino.

 

Podem ser necessários exames fisiológicos para avaliar a função do ânus e do reto como a eletromanometria retal ou o defecograma. Quando não se detecta nenhuma causa anatômica ou funcional para a constipação diz-se que a causa é idiopática, ou seja, de surgimento espontâneo e de causa desconhecida.

 

Qual é o tratamento para a Constipação?

 

Em grande parte dos casos, a adição de alimentos ricos em fibras à dieta e o aumento da ingestão de líquidos podem aliviar os sintomas da Constipação. Incorporar exercícios físicos à rotina também é uma indicação médica. A adição de fibras à dieta pode levar várias semanas para alcançar a eficácia total, mas as fibras não são nocivas ao organismo.

 

O uso de laxantes, estimulantes ou supositórios devem ser feito apenas quando recomendados pelo médico e com acompanhamento. O uso excessivo desses medicamentos pode acarretar na piora da condição da função intestinal, desidratação e até mesmo danos intestinais permanentes.

 

Em alguns casos, a fisioterapia do biofeedback podem ajudar na reeducação das funções do músculo esfíncter anal. Procedimentos cirúrgicos para o tratamento da Constipação são utilizados apenas em casos raros. Só o médico para determinar o melhor tratamento.

Veja também