Câncer de Esôfago

Câncer de esôfago

O que é câncer de esôfago?

O esôfago é parte do sistema digestório  do corpo humano, compreendendo um tubo que liga a boca ao estômago.

Quando um grupo de células que compõe o esôfago começa a se comportar de forma anormal, se reproduzindo de forma acelerada e desordenada, formando tumores, diz-se que o paciente possui câncer de esôfago.

Dados do INCA, o Instituto Nacional do Câncer, estimam que 10.790 casos de câncer de esôfago foram diagnosticados no Brasil, em 2018.

Quais são os fatores de risco para o câncer de esôfago?

O tabagismo é responsável por, pelo menos, 25% dos casos de câncer de esôfago, ainda de acordo com o INCA.

Outros  fatores de risco para o câncer de esôfago são:

– ingestão de bebidas quentes, acima dos 65°C;
– consumo de bebidas alcóolicas e de alimentos processados;
– possuir a doença do refluxo gastroesofágico, além de Síndrome de Plummer-Vinson, esôfago de Barret e lesões cáusticas na região;
– infecção pelo Papilomavírus humano (HPV), e
– obesidade.

Quais são os sintomas de câncer de esôfago?

Apesar de muitas vezes evoluir de forma assintomática ao longo de anos, os sintomas mais comuns do câncer de esôfago são:

– dificuldade e dor ao engolir;
– dor no peito, em especial, percebida atrás do osso externo;
– perda de peso e de apetite;
– sentir que a passagem do alimento está obstruída;
– náuseas;
– vômitos;
– refluxo; e
– dor na parte alta do abdômen.

São sintomas pouco específicos, que podem estar associados a diversas outras situações. Por isso, havendo suspeita de que algo possa estar acontecendo, deve-se procurar ajuda médica.

Como é feito o diagnóstico do câncer de esôfago?

O diagnóstico do câncer de esôfago é feito por meio da endoscopia, um tipo de exame onde um equipamento médico com uma câmera na ponta é inserido na boca do paciente, permitindo a visualização da maior parte do sistema digestivo, do qual o esôfago faz parte.

Havendo qualquer lesão suspeita, as biópsias são realizadas, recolhendo-se material para exames anatomopatológicos, que irão descartar ou comprovar a doença.

Qual é o tratamento para o câncer de esôfago?

O tratamento depende do estadiamento do câncer de esôfago. Nos casos mais iniciais, o objetivo é a cura do paciente, pela eliminação completa do tumor.

No tratamento do câncer de esôfago, três recursos podem ser utilizados isoladamente ou em combinações: a cirurgia, a radioterapia e a quimioterapia. Muito frequentemente, adota-se a estratégia de irradiar o tumor previamente à cirurgia, associando-se quimioterapia concomitantemente para aumentar a eficácia do tratamento.

Quando reconhecido em suas fases iniciais e adequadamente tratado, o câncer de esôfago tem grandes chances de cura. E, mesmo que a cura não seja possível, a expectativa é de se assegurar um bom tempo de vida com a realização do tratamento.

A Oncologia D’Or realiza mais de 20.000 atendimentos oncológicos de excelência por mês, em mais de 5.000 pacientes oncológicos.

As clínicas da Oncologia D’Or estão espalhadas pelos estados de Rio de Janeiro, São Paulo, Distrito Federal, Pernambuco, Ceará, Tocantins, Maranhão e Bahia.