O que é elefantíase?

A elefantíase é uma condição também chamada de filariose linfática, causada por um parasita transmitido pela picada de um mosquito, levando a uma inflamação no sistema linfático, fazendo com que o paciente desenvolva um grande inchaço (também conhecido como edema) em seus membros e em pontos como os seios e a bolsa escrotal.

O inchaço causado pela elefantíase é tão grande que pode ser incapacitante e impedir que o paciente viva uma vida normal, já que seus movimentos acabam sendo limitados. 

A principal causa da elefantíase é a exposição a diferentes tipos de vermes, dentre os quais podemos destacar o Wuchereria. Esse verme é encontrado em um mosquito e, uma vez que ele pica um indivíduo, é capaz de invadir sua corrente sanguínea, chegando aos diferentes pontos do corpo humano. 

 

Quais os sintomas de elefantíase?

Entre os principais sintomas de elefantíase, podemos destacar:

– acúmulo anormal de líquido nas pernas e nos braços, além de pontos como os testículos e seios;
– aumento de tamanho anormal e acelerado nos seios e nos testículos;
– febre;
– dor de cabeça;
– dor muscular;
– calor e vermelhidão nos membros inferiores;
– coceira na pele;
– mal-estar generalizado.

 

Como é o tratamento da elefantíase?

A elefantíase tem cura. Essa condição é tratada por meio de medicamentos que matam o verme que a causa. Também podem ser usados analgésicos, além de técnicas que melhoram a drenagem do corpo, como o aumento do consumo de água e o uso de meias de compressão, além da aplicação de gelo. 

No entanto, caso o tratamento demore para ser aplicado no paciente, ele pode acabar por desenvolver sequelas permanentes da elefantíase em seu corpo.

Por ano, a Rede D’Or São Luiz realiza mais de 3,4 milhões de atendimentos médicos de urgência e emergência. A Rede D’Or São Luiz está presente nos estados de Rio de Janeiro, São Paulo, Distrito Federal, Pernambuco, Maranhão, Sergipe e Bahia. Marque a sua consulta.