Cirurgia

Cirurgia

Especialidade diversificada na medicina, a Cirurgia Geral pode abordar diversas regiões do corpo. Seu estudo trata dos mecanismos fisiopatológicos, diagnóstico e tratamento de enfermidades que podem ser tratadas por meio de procedimentos cirúrgicos.

MARCAR CONSULTA

O que é cirurgia geral?

Especialidade diversificada na medicina, a Cirurgia Geral pode abordar diversas regiões do corpo. Seu estudo trata dos mecanismos fisiopatológicos, diagnóstico e tratamento de enfermidades que podem ser tratadas por meio de procedimentos cirúrgicos.

O profissional Cirurgião Geral atende a diversas demandas em um hospital, o que exige sólida formação em clínica cirúrgica. Ele pode atender em ambulatórios, prontos-socorros e realizar cirurgias eletivas.
A Associação Médica Brasileira e o Conselho Federal de Medicina reconheceram a Cirurgia Geral como especialidade, e não apenas sendo um pré-requisito para outras especialidades cirúrgicas.

Áreas da cirurgia:

  • – Cirurgia abdominal, abrangendo os órgãos do diafragma à pélvis;
  • – Cirurgia de cabeça e pescoço, a qual a mais frequente é a cirurgia da tireoide;
  • – Cirurgia coloproctológica, a qual a mais frequente é a correção de hemorroidas;
  • – Cirurgias de trauma, que cuida de pessoas que sofreram algum tipo de lesão, como ferimentos resultantes de quedas, colisão ou arma branca.

 

As técnicas cirúrgicas mais utilizadas são a cirurgia convencional ou aberta e cirurgia videolaparoscópica, que é um procedimento menos invasivo.

Em cirurgia geral, as cirurgias mais comuns realizadas por médicos desta especialidade são: as de hérnias, colecistite, colelitíase (popularmente conhecida como pedra na vesícula), hemorroida, úlcera gástrica, diverticulite e traumas.

Como são feitas as cirurgias?

As cirurgias são feitas com a autorização de um médico, que determina avaliações adicionais, como o exame de sangue, para iniciar o preparo do paciente para a realização do procedimento cirúrgico.

Essas avaliações são chamadas de pré-operatório, sendo que alguns exames também poderão ser realizados depois da cirurgia, na parte do tratamento conhecida como pós-operatório, que também envolve cuidados com a região onde foi feita a incisão para o início da cirurgia.

Dependendo de seu tipo e objetivo, uma cirurgia pode ser realizada com anestesia total ou local, e o procedimento geralmente é feito com um médico cirurgião acompanhado de um anestesiologista, além de outros integrantes da equipe médica, como enfermeiros e instrumentadores.

Antes que um procedimento cirúrgico seja realizado, os hospitais da Rede D’Or São Luiz colocam em prática normas de segurança internacionalmente recomendadas. O Protocolo de Cirurgia Segura, ou CheckList, que foi desenvolvido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) determina uma gama de rotinas de verificação no local e também no paciente que, segundo estudos internacionais, reduzem os danos e a mortalidade cirúrgica em até 42%.

Algumas cirurgias podem ser feitas utilizando robôs e máquinas, que aumentam a precisão de trabalho do médico e são menos invasivas do que os tratamentos mais tradicionais.

A Rede D’Or São Luiz possui 10 robôs, espalhados em 9 instituições médicas diferentes, como os hospitais Copa D’Or, Barra D’Or, São Luiz Itaim, São Luiz Morumbi, Santa Luzia e Hospital Esperança. Nos últimos 3 anos, a Rede D’Or São Luiz realizou mais de 4 mil cirurgias robóticas.

Em um ano, os hospitais da Rede D’Or São Luiz chegam a realizar mais de 220 mil procedimentos e intervenções cirurgias diversas.